Colocar silicone: quem pode fazer essa cirurgia?

Nos ajude e Avalie Este Post !

Desde muito cedo, algumas mulheres percebem que dificilmente terão seios volumosos. Pode ser que essa certeza tenha surgido quando a menina observou o próprio biótipo e o das mulheres de sua família. À medida que a adolescência chegou, essa previsão se confirmou: com mamas muito pequenas, elas sentiam que o corpo continuava igual ao de uma menina. Geralmente, nesse momento nasceu o desejo de colocar silicone.

Talvez você seja uma dessas adolescentes ou mesmo uma mulher adulta que viveu essa situação. É possível que agora esteja pensando: “será que eu posso fazer a mamoplastia de aumento e conquistar o corpo dos sonhos”?

Então, para solucionar essa dúvida, produzimos este post. Ele responderá as principais perguntas sobre esse tema. Confira!

Existe alguém que não pode colocar silicone?

Primeiramente, você precisa saber que o silicone é colocado em uma cirurgia chamada mamoplastia de aumento. Trata-se de um procedimento simples, rápido e que garante uma boa recuperação às pacientes. Por isso, a maioria das mulheres pode fazer essa cirurgia tranquilamente.

No entanto, em alguns casos os médicos não recomendam que a cirurgia seja feita. Porém, como você vai perceber a seguir, isso acontece em situações muito específicas. Inclusive, na maioria das vezes o impedimento é apenas temporário.

Então, para ajudá-la a descobrir se você pode ou não colocar silicone, preparamos um checklist. Fique atenta a cada ponto e descubra se é a candidata ideal para esse tipo de cirurgia.

Quem pode colocar silicone?

Sempre vale a pena lembrar que quem define se uma paciente pode ou não fazer a mamoplastia de aumento é o cirurgião plástico. Para isso, ele examinará a paciente na clínica e solicitará exames.

Porém, alguns dos critérios para se tornar uma boa candidata ao procedimento são:

1. Ter completado o desenvolvimento das mamas

É muito comum as adolescentes demonstrarem insatisfação com o próprio corpo. Isso é compreensível, visto que é uma fase cheia de mudanças e incertezas. Nesse período, os questionamentos sobre a aparência têm um grande impacto na autoestima.

Por isso, muitas garotas querem colocar silicone ainda nessa fase. No entanto, isso nem sempre é possível.

Embora não haja uma regra que estabeleça uma idade mínima para fazer essa cirurgia, o médico pode se recusar a colocar o silicone em adolescentes, especialmente quando elas não completaram 16 anos.

Para chegar a essa conclusão, o cirurgião plástico avalia o processo de maturação do corpo da garota. Então, ele observa sinais e identifica se o desenvolvimento já está completo ou se algumas mudanças ainda irão acontecer, como o aumento no tamanho dos seios.

Por isso, é fundamental ouvir o médico e respeitar sua opinião profissional. Afinal, mesmo que o desejo de aumentar os seios seja muito grande, se as mamas ainda estão em processo de crescimento é necessário aguardar para fazer a cirurgia.

Ainda que o cirurgião entenda que já é possível fazer a cirurgia em uma garota com menos de 18 anos, ela precisará da avaliação do pediatra e de um psicólogo.

2. Não estar grávida ou amamentando

Esse é outro requisito importante para as mulheres que querem colocar silicone. Existem vários fatores que tornam a cirurgia plástica não recomendada durante esse período.

Os médicos sabem que ocorrem muitas alterações hormonais e fisiológicas no organismo da grávida. Frequentemente, o corpo e as mamas incham. Além disso, pode existir uma variação no volume dos seios no período entre o início da gestação e o final da amamentação. Também é relativamente comum a mulher ganhar peso.

Diante de todas essas mudanças, é fácil perceber que esse não é o melhor momento para aumentar os seios. Afinal, o resultado de qualquer cirurgia nessa região ficaria comprometido.

Porém, esse não é o principal motivo para evitar a mamoplastia de aumento na gestação. Precisamos lembrar que um procedimento cirúrgico envolve o uso de medicamentos e pode trazer riscos à saúde do bebê.

Portanto, é melhor adiar um pouquinho a mamoplastia. Assim, você espera o seu corpo se recuperar de todas as mudanças que acontecem durante a gestação e amamentação.

Não existe uma regra única, mas muitos médicos liberam a realização da cirurgia seis meses após o parto e fim da amamentação.

3. Estar livre de doenças específicas

Os cirurgiões não indicam a mamoplastia de aumento quando a paciente tem doenças hematológicas ou imunodepressoras não controladas. Câncer ativo, doença mamária não tratada, lupus eritematoso e artrite reumatoide, por exemplo, são quadros médicos em que a cirurgia não é recomendada.

A presença de doenças hematológicas (do sangue) podem comprometer a recuperação da paciente no pós-operatório. Elas geralmente são associadas a problemas de cicatrização. Assim, elas afetam o resultado da cirurgia.

Já as doenças imunodepressoras reduzem a eficiência do sistema de defesa do organismo. Por isso, as pacientes com esses problemas estão mais sujeitas a infecções também no pós-operatório. Portanto, evitar a cirurgia nesses casos é uma questão de segurança.

Porém, como dissemos no início do tópico, essas doenças são um impedimento quando elas não estão controladas. Então, quem pode realmente dizer se a paciente pode ou não colocar silicone nessas situações é o cirurgião. Ele analisará os exames pré-operatórios e, em uma conversa franca, se posicionará a respeito da segurança do procedimento.

4. Ter uma boa saúde cardiovascular

Quando os exames mostram que a mulher não tem doenças cardiovasculares, o processo cirúrgico é muito mais seguro. Portanto, se a paciente tem um problema dessa natureza, ela precisa de autorização do cardiologista a fim de realizar qualquer cirurgia, inclusive a mamoplastia de aumento.

A boa saúde cardiovascular reduz as chances de aceleração de batimentos cardíacos e picos de pressão. Ela também contribui para que a paciente fique livre da trombose, que é um problema bem raro, mas que pode acontecer até no pós-operatório.

5. Ter as mamas firmes

A prótese de silicone é usada para dar volume às mamas. Porém, ela não é o tratamento indicado para flacidez. Caso a paciente tenha seios caídos, ela provavelmente precisará de outro tipo de cirurgia, como a mastopexia com ou sem prótese, também chamada de lifting de mamas.

O que acontece com quem não passa no teste?

Se você observar direitinho, vai perceber que a maioria dessas condições são temporárias. Assim como a gravidez, o período de amamentação também passa. O tempo em que as mamas estão maduras chega mais rápido do que as adolescentes imaginam. Então, tudo que a paciente precisa fazer é esperar.

Mesmo quando falamos das doenças, é importante que a mulher saiba que a presença de qualquer uma dessas condições não é um veredito final. Por isso, o ideal é procurar o cirurgião, falar abertamente desses problemas e realizar os exames indicados.

Para muitas mulheres, é possível realizar esse sonho apesar dessas condições. Para isso, talvez seja necessário passar por um período de tratamento até que tudo esteja sob controle.

Porém, somente o médico tem a palavra final a respeito desse assunto. Consulte-o, converse e, se realmente não for possível colocar silicone, informe-se sobre alternativas viáveis para se sentir bem com o próprio corpo.

E agora, depois do checklist, qual é a conclusão? Está pronta para turbinar os seios? Ficou ansiosa para fazer a cirurgia? Você ficará ainda mais empolgada quando conhecer os relatos de mulheres que já passaram por todo esse processo. Participe do nosso grupo no Facebook e confira essas histórias!

Quer dar um turbinada nos seus seios ? Acesse já o site da Silicone Center ou clique na imagem e faça o teste abaixo !


Turbinar ou Não Turbinar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *