Dor na mama com prótese de silicone: é normal sentir?

5 (100%) 2 votes

Se você está pensando em turbinar seus seios, deve estar pesquisando muito sobre a cirurgia. Tamanhos e formatos de implantes, resultados, recuperação… Mas além disso, algumas pacientes têm dúvidas quanto à possibilidade de sentirem dor na mama com prótese de silicone.

Então, hoje nós vamos falar desse tema. Queremos que você saiba o que é normal depois da cirurgia e o que fazer para reduzir o desconforto e ter uma recuperação tranquila.

Dor na mama com prótese de silicone: o efeito pós-cirúrgico

Para o nosso organismo, a dor é um sinal de alerta. Ela diz que algo no corpo não está bem e exige providências para a recuperação.

Sem essa sensação, nós colocaríamos a nossa vida em risco por não termos consciência de ameaças às quais ela está exposta.

Quando fazemos uma cirurgia, nós criamos uma situação que o corpo interpreta como uma ameaça.

A grande diferença é que, nesse caso, o “dano” foi causado com total consciência e controle dos riscos, sob a orientação de um profissional especializado.

No entanto, o corpo não sabe dessa intencionalidade. Por isso, ele reage com esse aviso. Afinal, são vários os fatores estranhos com os quais ele precisa lidar.

Vamos pensar na cirurgia para colocação da prótese:

  • houve um corte (incisão) abaixo das duas mamas;
  • a glândula foi afastada do músculo, o que provocou um descolamento entre esses tecidos;
  • o implante foi inserido nesse local, onde não havia um espaço adequado para ele;
  • a pele vai precisar lidar com essa extensão necessária para acomodar a prótese e ainda com o inchaço normal de um procedimento cirúrgico.

Esses são apenas alguns dos efeitos da cirurgia.

Perceba que, por mais que seja um procedimento simples, ele exige uma série de adaptações do organismo. Então, não fique preocupada com algum desconforto no período pós-cirúrgico.

Ele está mostrando que, para ajudar no processo de cicatrização, a paciente deve evitar movimentar aquele local.

Portanto, é importante tomar todos os cuidados recomendados para esse período, favorecendo a recuperação. Nesse momento, a paciente tem dois grandes aliados: o sutiã pós-cirúrgico e a faixa.

O sutiã é muito importante.

Ele ajuda a reduzir o edema (inchaço), faz os músculos se adaptarem e mantém as próteses em seus devidos lugares, ajudando a deixar as mamas empinadas — o sonho de todas as pacientes.

Porém, não é só isso.

Ele também dá estabilidade às suturas e diminui a movimentação das mamas. Assim, a incisão fica livre de pressão, o que acelera a cicatrização e evita a formação de quelóides ou marcas muito evidentes.

A faixa estabilizadora ou pós-cirúrgica para implante mamário é usada para evitar que o colo fique muito elevado. Ela impede que uma ou as duas próteses fiquem muito altas, fazendo com que elas se mantenham na posição correta, deixando as mamas lindas e simétricas.

Dor na mama com prótese de silicone: a importância da técnica

A técnica usada para a realização do implante também é um fator que interfere na manifestação da dor.

Como já falamos aqui no blog, é possível posicionar a prótese por cima ou por baixo do músculo, sendo que esses procedimentos têm resultados um pouco diferentes.

Mas como isso influencia o surgimento de dor na mama com prótese de silicone?

Quando a posição da prótese é subglandular, isso significa que ela será colocada atrás das glândulas mamárias.

Esse tipo de procedimento é o mais comum, já que ele tem o resultado que a maioria das pacientes deseja — seios bem turbinados, com o colo bem marcado.

Nesse caso, o implante fica entre a glândula mamária e o músculo peitoral. Assim, a incisão atinge um número menor de tecidos, fazendo com que o organismo tenha menos motivos para provocar inchaço.

Também não se exige uma extensão do músculo, reduzindo a dor na mama com prótese de silicone. Outra opção é o posicionamento submuscular da prótese.

Neste caso, o implante é inserido atrás, não só da glândula, mas também do músculo peitoral. Ela fica entre esse tecido muscular e a parede do tórax. Apesar de ser indicada para alguns tipos de pacientes, como aquelas que não têm praticamente nenhum volume nos seios, o pós-operatório costuma ser mais doloroso.

Nesse caso, há um número maior de tecidos afetados, além da necessidade de estender o músculo para acomodar o implante.

Esses dois fatores podem influenciar na dor na mama com prótese de silicone e são perfeitamente normais no período pós-cirúrgico. Eles podem variar em graus, já que cada pessoa tem um nível de resistência diferente.

Para evitar essas dores, o seu cirurgião vai receitar a medicação correta. Então, se você tomar o medicamento e ficar em repouso como o médico orientou, haverá apenas um pequeno desconforto.

Dor na mama com prótese de silicone: quando surgem complicações

Porém, nem sempre a dor na mama com prótese de silicone é totalmente normal. Ela pode ser um sinal de complicações decorrentes da cirurgia ou até mesmo de rejeição do implante. Esse quadro também é chamado de contratura capsular.

Já falamos em outros posts que o organismo entende a prótese de silicone como um corpo estranho. Como não pode expulsá-la, acontece um processo de defesa: a criação de uma membrana bem fininha, que deve isolar o implante dos tecidos naturais. Essa membrana envolve todo o implante como se fosse uma cápsula. Por isso, esse quadro é chamado encapsulamento.

Esse é um processo perfeitamente normal no organismo. Ele acontece porque o sistema de defesa quer criar uma barreira entre a prótese e os tecidos naturais do corpo. Isso acontece com todas as mulheres que colocam silicone.

Porém, em pouquíssimos casos, o corpo cria uma barreira mais forte que o normal. Quando isso acontece, o seio fica mais rígido e firme ao toque. A mama pode ficar dolorida e perder seu formato inicial.

A cápsula passa a comprimir a prótese e pode causar até mesmo seu rompimento. Mas como já falamos em outros posts, isso só acontece em 0,5% dos casos.

Portanto, o encapsulamento acontece com todas as mulheres, e pode ser até mesmo classificado em diferentes estágios:

  • Grau 1: as mulheres não percebem qualquer sinal de anormalidade. A mama está normal, não existe sensação de incômodo e elas estão esteticamente perfeitas.
  • Grau 2: apesar de não ter alterações visíveis, a paciente sente levemente o implante quando apalpa as mamas.
  • Grau 3: nesse estágio, o implante é sentido com facilidade quando a mulher apalpa suas mamas. A assimetria em relação ao outro seio começa a ficar evidente. Podem surgir ondulações na superfície da prótese.
  • Grau 4: além da mama ficar endurecida, a paciente sente dor na mama com prótese de silicone constantemente. A assimetria se torna mais grave.

Para que um médico considere que a prótese foi rejeitada, a paciente precisa apresentar os sintomas descritos nos graus 3 e 4.

Os graus 1 e 2 representam a normalidade de uma mama que passou por um implante. Algum eventual incômodo pode ser resolvido com medicamentos e massagens.

Mas e se isso acontecer, o que fazer?

Mesmo que você sinta dor na mama com prótese de silicone, não é preciso ficar desesperada. Procure seu cirurgião, que está apto a solucionar seu problema com tranquilidade.

Se o encapsulamento estiver nos níveis 1 e 2, o tratamento costuma ser feito com medicamentos. Já quando se trata dos níveis 3 e 4, na maioria das vezes é necessário realizar uma cirurgia para colocação de um novo implante.

Entendeu que tipo de dor na mama com prótese de silicone é normal e quando pedir ajuda?

Quer saber tudo sobre a cirurgia de prótese de silicone e tirar todas as suas dúvidas? Então continue aqui no blog e não perca nosso manual completo. Confira!

2 respostas para “Dor na mama com prótese de silicone: é normal sentir?”

    1. Olá, Tania. Em relação a isso, cada caso é um caso, no qual somente o profissional que realizou o procedimento poderá tirar sua dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *