Rejeição silicone: quais os sintomas?

Do mesmo jeito que uma cirurgia plástica é cercada de expectativas positivas, também é importante se informar sobre contratempos que podem acontecer e como evitá-los. Por isso, conhecer os sintomas da rejeição silicone ajudam a paciente a identificá-la rapidamente e buscar uma solução.

Porém, antes de começarmos, é importante pontuar que a rejeição da prótese de silicone é uma ocorrência cada vez mais rara. Ainda assim, é importante conhecer o assunto para saber o que fazer diante de uma complicação.

Pronta para começar? Vamos lá!

Como a rejeição silicone acontece?

A prótese de silicone é um corpo estranho que o organismo vai receber. Assim, é natural que aconteça uma reação de defesa, um processo inflamatório ou uma forma de proteger os tecidos que ficam em volta.

No caso da prótese de silicone, o corpo tem uma maneira especial de se defender. Assim, ele cria uma camada em volta do implante mamário, feita com tecido conjuntivo, para isolá-lo dos tecidos da mama. Trata-se do encapsulamento.

Na maioria das mulheres, isso acontece de forma normal. Então, o corpo cria a cápsula, entende que os tecidos estão protegidos por essa barreira e pronto.


Aumentar os Seios

Porém, em algumas mulheres, esse processo de cicatrização acontece de forma anormal. Trata-se da contratura capsular.

O organismo dessas pacientes entende que aquela barreira inicial não é suficiente. Então, ele continua engrossando a cápsula, que perde sua elasticidade e causa o endurecimento dos tecidos da mama.

Como resultado, o seio fica mais rígido que o normal e pode até mesmo mudar sua aparência. A mama sofre alterações no formato, apresenta assimetria em relação à outra e gera, nos graus avançados, desconforto e dor.

Esse processo de cicatrização anormal e enrijecimento da cápsula é chamado de contratura capsular. Em casos mais extremos, a pressão sobre a prótese é tão forte que ela pode se romper.

Quais são os sintomas da contratura capsular?

Os sintomas dependem do grau da contratura capsular. Então, entenda o que acontece em cada uma dessas fases:

Grau I

A mama tem aparência e consistência normais. Assim, mesmo que a cápsula esteja se formando em volta da prótese, a paciente não sente nada e nem percebe que o processo está acontecendo.

Grau II

Nesse estágio, a contratura ainda é mínima. Não há nenhum sinal visível e esteticamente a prótese está perfeita. No entanto, a paciente já começa a sentir a presença do implante mamário quando apalpa os seios.

Grau III

Nesse ponto, a contratura capsular realmente começa a incomodar. Assim, a prótese fica bem perceptível quando o seio é apalpado. A mama se torna mais rígida e surge um sinal visível, que é a assimetria.

Portanto, quando a mulher observa suas duas mamas, ela percebe que o seio com contratura está diferente do outro. Também podem aparecer ondulações na superfície da prótese.

Grau IV

No grau máximo da contratura capsular, o seio fica endurecido e seu formato está visivelmente alterado. As dores são constantes e ao tocar as mamas, percebe-se que elas estão frias.


Silicone Center

Quais são as causas da rejeição silicone?

Até pouco tempo atrás, o maior fator para a rejeição da prótese era o revestimento dos implantes mamários. Como eles eram lisos, o organismo identificava aquele corpo estranho e rapidamente começava esse processo exagerado de defesa.

No entanto, hoje as próteses têm superfícies com revestimento texturizado. Assim, o organismo não tem uma reação tão extrema e logo acontece uma aderência entre os tecidos do corpo e o implante mamário.

Porém, ainda existem alguns fatores que contribuem para a ocorrência da contratura capsular. Alguns deles são infecções nas mamas, mesmo que não apresentem nenhum sintoma.

Além disso, também é importante saber que o rompimento da prótese em um acidente, por exemplo, pode causar esse problema. Por isso, é muito importante procurar o médico e avaliar seu implante caso algo assim aconteça.

Complicações no pós-operatório e próteses muito antigas também podem aumentar as chances de ocorrência da contratura capsular.

Entretanto, a evolução tecnológica das próteses e o desenvolvimento de técnicas cirúrgicas avançadas estão tornando a contratura cada vez menos comum. Hoje, ela atinge menos de 0,5% das mulheres com silicone.

Como tratar a rejeição silicone?

Quando a paciente identifica a contratura logo no início e procura o médico, é possível buscar alternativas de tratamento. Uso de medicamentos e massagens são efetivos para mulheres com os graus I e II.

No entanto, se o processo de contratura já estiver adiantado, é preciso substituir a prótese atual por uma nova. Isso é feito através de uma segunda cirurgia plástica.

Por isso, vale muito a pena tomar os cuidados para evitar a rejeição. Escolher uma boa prótese texturizada e cumprir as recomendações do médico no pós-operatório tornam a probabilidade de uma contratura capsular estatisticamente insignificante.

Entendeu o que é a rejeição da prótese de silicone e quais seus sintomas? Ficou com alguma dúvida? Deixe sua pergunta nos comentários e teremos prazer em respondê-la!

Fale Conosco Pelo Whatsapp


Quer dar um turbinada nos seus seios ? Acesse já o site do Silicone Center, preencha o formulário abaixo ou clique nas imagems abaixo e faça nosso teste e baixe nosso e-book grátis !!


(Preencha, envie e aguarde a confirmação)


Turbinar ou não turbinar

Tudo o que você precisa saber sobre Próteses de Silicone

Simulador de Próteses de Silicone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *