Contratura capsular: é possível evitar?

Fale Conosco Pelo Whatsapp
5 (100%) 2 vote[s]

No passado, era relativamente comum ouvir sobre casos de contratura capsular silicone. No entanto, você deve ter percebido que esse é um problema cada vez mais raro.

A pergunta que você deve estar se fazendo é: como evitar a contratura capsular? Então, nós preparamos este post para tirar suas dúvidas a respeito desse tema.

Contratura capsular do silicone: o que é?

Até certa medida, a contratura capsular é um processo natural do corpo após a mamoplastia de aumento. Por isso, você precisa entender bem do que se trata para não ficar com receio sem motivo.

Quando a prótese de silicone é colocada atrás da glândula mamária ou do músculo, o organismo percebe que ali existe um corpo estranho.

Naturalmente, ele desenvolve um sistema de defesa. Para isso, ele tenta isolar o implante dos outros tecidos do corpo, criando uma membrana (ou cápsula) em volta dela. Portanto, trata-se do encapsulamento da prótese.

Porém, em alguns casos o corpo reage de forma extrema. Assim, a membrana se torna mais espessa que o normal. Esse quadro é chamado de contratura capsular.

Quando se torna um problema?

Quando a reação se torna muito exagerada, a membrana começa a pressionar a prótese. Em casos muito raros, a pressão é tão forte que pode causar o rompimento do implante. A partir daí, entende-se que o corpo está rejeitando a prótese.

Porém, existem graus diferentes de rejeição. Quando o problema é leve, a mulher começa a perceber a prótese durante a palpação da mama.

No entanto, se o problema é mais grave, aparecem outros sintomas de rejeição: desconforto, assimetria dos seios, ondulações na superfície da prótese e dores.

Quais são as causas?

Até agora, não se descobriu uma causa específica para a contratura capsular. Alguns organismos simplesmente rejeitam os implantes, enquanto a imensa maioria não sofre qualquer mudança.

Porém, os médicos já sabem que alguns tipos de implantes são mais propensos a gerar esse tipo de problema. Entende-se que eles têm uma dificuldade maior de aderência ao tecido natural do corpo, o que desencadeia a rejeição.

Como evitar o problema?

Embora não se possa prever a contratura capsular, sabe-se que as próteses de silicone lisas são as que geram uma reação mais forte por parte do organismo.

Por isso, hoje em dia a maioria dos médicos recomenda a prótese de silicone texturizada. Ela adere melhor aos tecidos, fazendo com que o corpo deixe de considerá-la um corpo estranho.

Além disso, quando a paciente segue à risca as recomendações para o pós-operatório, as chances de contratura também são menores.

Então, usar o sutiã cirúrgico, manter repouso e evitar movimentos que prejudicam a cicatrização externa e interna minimizam a sensação de que o corpo está sendo agredido. Assim, ele não reagirá de forma tão extrema.

Como diagnosticar e tratar?

O diagnóstico é feito pelo cirurgião nas consultas de rotina do pós-operatório ou quando a paciente sente algum dos sintomas.

Ele pedirá alguns exames e, se o problema for constatado, indicará o tratamento mais apropriado. Na maioria das vezes, basta tomar a medicação prescrita ou fazer massagens. Assim, apenas alguns casos requerem a retirada das próteses em uma nova cirurgia.

Qual é a frequência do problema?

Quando as próteses lisas eram muito usadas, o problema era mais frequente. Atualmente, como os cirurgiões usam a superfície texturizada, o risco de ocorrência da contratura fica em torno de 0,5% das cirurgias.

Agora você já sabe o que é contratura capsular silicone e entendeu que esses riscos podem ser minimizados com a prótese adequada e atenção aos cuidados pós-operatórios.

Gostou do post? Então, siga-nos no Facebook! Lá você poderá acompanhar nossas publicações e saber tudo sobre a cirurgia para colocar silicone!

Fale Conosco Pelo Whatsapp


Quer dar um turbinada nos seus seios ? Acesse já o site do Silicone Center, preencha o formulário abaixo ou clique nas imagems abaixo e faça nosso teste e baixe nosso e-book grátis !!


(Preencha, envie e aguarde a confirmação)


Turbinar ou não turbinar

Tudo o que você precisa saber sobre Próteses de Silicone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *